Tipos de suporte para cortinas

19 de fevereiro de 2020 0 Por eduardo

Que as cortinas deixam a casa mais aconchegante e chique todo mundo sabe, porém não é uma missão possível adotar a cortina ideal para cada local, uma vez que além de existirem vários tipos de cortinas, elas são uma parte dispendiosa da ornamento, que constantemente acaba sendo escolhida ao final de tudo ou até a ficar em um de acordo com plano, uma vez que não é um artigo relevante para sua continuidade, porém que faz toda a diferença.


Para que você consiga adotar o melhor tipo de cortina sem a auxilia de um alarife de interiores, daremos algumas dicas que facilitarão bastante em sua escolha.

E é bastante fundamental que a escolha seja certeira, uma vez que não é um artigo que trocaremos a todo o hora, uma vez que como já falamos, é caro e não desejaremos jogas dinheiro fora. Por isso fique ligado e vamos lá!A primeira coisa ao adotar uma cortina é saber o que significam aquelas palavras tão específicas para os tipos de cortina, como ilhoses, braçadeiras e por aí vai, visto que com firmeza lhe farão perguntas sobre o tipo de?ilhoses? que quer na momento da sua compra.

Por isso para te auxiliar a supervisionar um pouco o que significa cada artigo de uma cortina, segue um léxicon com o significado das palavras que você mais vai escutar:


Argola: círculo que segura a cortina no varão.


Braçadeira ou Abraçadeira: cordão ou banda que talinga a cortina nas laterais, para que ela se mantenha aberta.

Cortineiro: lugar originado no forro de gesso para ocultar o varão e a argola ou ilhós e para que a cortina fique embutida.

Ilhós: aros em metal, madeiro ou plástico na cortina para mudar o varão, dessa maneira não há urgência de utilização da argola.
Ponteira: morrer nas extremidades do varão, para que a cortina não se solte dele e o ornamente.

Siba Mais: Como saber a medida certa para a sua cortina de varão


Varão: haste de madeiro, metal ou plástico, que é permanente na taipa ou telhado e serve para resistir a cortina.

Cada dependência pede um tipo de cortina mais afinado, porém isto vai sujeitar-se bastante que se quer para o local. Em salas, cozinhas e banheiros o ideal é que as cortinas sejam de um fazenda mais rápido como o voal, com um forro por após para fazer uma lisura, porém também dessa maneira, ocultar um pouco a radiância de fora e resultar intimidade.

Para os quartos e home theater, nada melhor que cortinas com blackout, que não deixam mudar nenhuma luz no local, garantindo dessa maneira maior conforto. Porém há indivíduos que preferem que no quarto a cortina seja mais veraz, uma vez que precisam da luz da manhã para conseguirem estimular, dessa forma dissemos que tudo dependerá que se quer e nada é uma exemplo.


Tipos de cortina


Cortina com varão e fazenda: aqui o que deverá ser apurado é o fazenda, se mais rápido ou mais fatigante, dependendo da intenção. Os tecidos mais usados nesse caso são o voal e shantung para ambientes que se queira mais radiância, uma vez que são tecidos leves, e algodão, linho, camurça, poliéster, seda e chenille para ambientes no qual se quer pouco existência fazenda.

Misturar voal com um fazenda mais grosso deixa o local com pouco lisura e também dessa maneira pode revestir a luz fazenda. O bom de ocorrer 2 tipos de fazenda é que de dia você pode deixar um tapado e de noite outro.

Blackout: cortina feita em poliéster que não permite existência fazenda nenhuma, mesmo que lá fora esteja um super luz!

Persiana: cortina com barras verticais ou horizontais, feitas de madeiro, alumínio ou PVC. É a escolha mais barata e que não barra tanto a luz fazenda, porém se o local é minimalista e clean, é uma excelente escolha. Há diversos tipos de persianas, com distintos materiais e propósitos:

Tipo rolô: no momento em que não usada, essa persiana enrola e se recolhe. Há as opções com quadro fazenda para dificultar tanto os raios UV e a radiância e os de vinil para deixar o local mais escuro. Ideal para qualquer local.

Tipo romana: tem design rendoso, uma vez que no momento em que recolhidas, elas se dobram. Ideal para salas e cozinhas.

Tipo visão: perfeito para grandes vãos e como é modulado não é preciso abrir o vão todo. Se você pretende apenas um pouco de luz, recolhe apenas um módulo, se quer mais luz, recolhem-se todos. Ideal para ambientes grandes, como as salas.

Rede Sociais: https://www.facebook.com/G2-Portal-de-Noticias-103955877864969/

Tipo double vision: alterna entre faixas translúcidas e opacas. Você não perde a ficção exterior e pode coarctar a radiância no local. Ideal para salas e quartos.

Dicas


Cortinas são constantemente mais elegantes se vão do lajeado ao telhado ou ao menos do lajeado até o fim da altura da janela ou acesso.


Faça barras nas cortinas com 20cm de altura, para permitir mais civilidade.


Para saber qual largura de fazenda adquirir, para os mais leves, meça a largura da janela ou acesso, multiplique essa largura por 3 e adicione mais 20 a 40cm na largura completo, para que haja debilidade, porém se o fazenda for mais fatigante, multiplique a largura por 2 e em seguida adicione 20 a 40cm.


Há cortinas já com dimensões padrões de mercado e com firmeza são bastante mais baratas que lançar realizar. Se você acha que ela se encaixa perfeitamente no seu local, não hesite em comprá-la.


Persianas são menos difíceis de apurar que cortinas. Você apenas terá de mudar um tela úmido nas barras das persianas, enquanto que nas cortinas, será preciso lavar todo o fazenda e caso você não tenha uma equipamento de lavar com personalidade para essa cortina, será preciso provocar em qualquer lavanderia. Pense na preservação na momento da escolha.


Na momento de adotar uma símbolo dê preferência para as cores mais suaves e sem vários desenhos, para não enjoar. O legal é usar tecidos lisos ou listrados ou que combinem com a taipa em que ela estará.

As cortinas são bastante usadas em decorações mais clássicas e tradicionais, já as persianas evidencia um ar mais moderno.

Veja qual o jeito de ornamento do seu local e qual a melhor escolha para você.

FONTES: https://www.r7.com