Como fazer uma boa solda eletrônico

15 de janeiro de 2020 0 Por eduardo

A eletrônica é uma setor do entendimento bastante feiticeiro e atraí várias indivíduos que querem se intervir mais com o assunto.

Não obstante, acredito que os fenômenos elétricos como um todo são bastante motivantes, por causa de às muitas aplicações que pode-se conquistar com a eletricidade no maior parte.


Todos que inciam seus pesquisas em eletrônica estão dispostos a encontrar o quanto essa conhecimento pode ser rendoso e motivadora. No artigo de hoje vamos anunciar sobre algumas ferramentas básicas que ajudarão bastante aos iniciantes nos pesquisas e experimentos envolvendo circuitos eletrônicos dos mais variados tipos, e mostrar que com pouco investimento pode-se montar e desenvolver os mais variados protótipos de circuitos eletrônicos.

A seguir vou detalhar as ferramentas básicas e no qual você será capaz de estar adquirindo a mesma a um esforço vatagem bastante bom.


1 Alicates
2 Chaves de Orifício e Phillips
3 Estilete
4 Ferro de Soldar
5 Soldadura em Estanho
6 Sugador de Soldadura
7 Carteira de Soldadura
8 Multímetro

Alicates


Os alicates são ferramentas bastante benéficos, auxiliam a entristecer, ziguezaguear, resistir pequenos parafusos, alguns componentes eletrônicos e decapar os fios para as conexões. Embora de ser uma ferramenta bastante comum em algumas residências há certos modelos de alicates específicos para trabalhar com eletrônica, ou seja, são alicates mais baixos com corte mais necessário e com rasto ergonômica para o trabalho a ser empregado.


Na Figurante 1 podemos examinar diversos modelos de alicates. Figurante 1 – Distintos modelos de alicates localizados no comércio. Há várias variações de alicates, porém para iniciantes em eletrônica a orientação é: alicate de gancho, alicate de corte e o alicate público. Com esses 3 modelos de alicates as montagens eletrônicas serão bastante facilitadas com o utilização deles.


Chaves de Orifício e Phillips

Saiba Mais: Como Soldar: Dicas para uma boa soldagem em eletrônica: Treinamentos recomendados


As chaves de orifício e de phillips são ferramentas que certamente todo mundo já usou ou possui guardado na cacifo do armário, uma vez que estas são indispensáveis em pequenos reparos em nossa casa ( quem de modo algum apertou os parafusos de uma cacifo?).

Dessa maneira, essas chaves similarmente são consideradas ferramentas básicas para que pessoas começa em montagens com eletrônica, uma vez que estas ajudam a aparafusar os cabos nos conectores, desmontar caixas, remover placas de giro e em várias outras trabalhos.


A Figurante 2 a seguir apresenta alguns modelos de chaves manuais além da de orifício e phillips que são capazes de ser encontradas no comércio.


Figurante 2 – Modelos de chaves de orifício e phillips juntamente com uma imagem de referência para outras chaves.


Neste caso, a orientação é conseguir um coleção simples de chaves que contenha a símbolo de orifício e de phillips. Mais tarde é evidente que convém conseguir novos modelos de chaves.


Estilete


O estilete é empregado para entristecer e auxiliar a decapar alguns cabinhos, entristecer trilhas em padrão de giro impresso e em outras trabalhos que necessite de uma gilete bem afiada. A Figurante 3 a seguir apresenta alguns modelos de estilete.


Figurante 3 – Modelos de estiletes que são localizados no comércio.


A orientação é conseguir um modelo de estilete que seja dominador, ou seja, com ótima rasto e que seja de um material aparentemente robusto para que não quebre fácil. Além disso, bastante atenção ao amachucar o estilete ou qualquer outra ferramenta cortante.


Ferro de Soldar


O essencial, ou pode ser que, um dos produtos mais essenciais dessa listagem é o ferro de soldar. O ferro de soldar inicialmente é uma ferramenta bastante simples, uma vez que é formada pela resistência elétrica que aquece toda parte metálica, especialmente a ponta.

A Figurante 4 a seguir apresenta alguns modelos de ferro de soldar.
Figurante 4 – Distintos modelos de ferro de sodar que são capazes de ser localizados no comércio.


Há vários modelos de ferro de soldar, com ou sem controle de temperatura e de baixa e alta potência. Porém, o recomendado para começar e conseguir experiência com soldadura eletrônica é um modelo de ferro de soldar que tenha potência entre 30 e 40 W.

Os modelos de baixa potência similarmente são bastante recomendados para soldar circuitos integrados, uma vez que a temperatura excessiva sobre este tipo de elemento pode danificá-lo permanentemente.


Soldadura em Estanho


De que adianta ter um bom ferro de soldar se não possuimos soldadura. A soldadura para eletrônica é uma coalizão de chumbo e estanho. A soldadura é comercializada em distintos formatos: barras, trança e tubinho.

A Figurante 5 a seguir traz distintos modelos de soldadura localizados no comércio.


Figurante 5 – Tipos de soldas encontradas no comércio.


Qual modelo adotar, vai inicialmente da personalidade financeira e da urgência da soldadura, ou seja, não adianta adquirir um trança de soldadura se você necessita soldar somente meia dozena de componentes e não terá de corporificar várias soldas por dia.


Outro ponto que devemos ingerir atenção é a equivalência da soldadura, por exemplo, possui soldadura na equivalência 60/40, 70/30 e pode ser que outras proporções.

A equivalência indica a porção de estanho e chumbo presente na soldadura, dessa forma é melhor optar por soldas com equivalência 70/30, uma vez que tem mais estanho. Outra qualidade da equivalência, é que quanto maior a equivalência de estanho mais brilho possui a soldadura e menor é a momento de uma “ soldadura fria”.


Também devemos observar o diâmetro da soldadura, o mais recomendado e achado no comércio são as soldas de 1 mm de diâmetro.


Sugador de Soldadura


O sugador de soldadura similarmente é uma ferramenta bastante fundamental, uma vez que com ela podemos dispensar a soldadura e remover componentes das placas de giro impresso. Sua ofício é sugar a soldadura que é derretida com o ferro de soldar. A Figurante 6 a seguir apresenta alguns modelos de sugador de soldadura.


Figurante 6 – Modelos de sugadores de soldadura e uma explicação de seu utilização.


Note que há distintos modelos, de plástico, alumínio e combinado de plástico mais alumínio, etc. Para iniciantes um modelo simples já é o satisfatório e atende perfeitamente a todas as montagens.


Além disso, é constantemente fundamental preservar o sugador de soldadura higienizado, ou seja, deve-se abri-lo e dispensar a soldadura que encontra-se encrostada no interior do cano e no final da higienização lubrificar com óleo ou grafito em pó.


Carteira de Soldadura


A carteira de soldadura não é de extrema valia, porém ao usá-la pela primeira vez percebe-se que o investimento valeu a pena. A carteira de soldadura é um material faustoso que benefício a soldadura, ou seja, ela permite uma maior absorvimento da soldadura pelo material ao qual desejamos soldar.

Ela ajuda em todo o processamento de soldagem em eletrônica, sem vantagem.


A Figurante 7 apresenta os modelos de carteira de soldadura que se encontra no comércio.


Figurante 7 – Distintos tipos de carteira de soldadura que pode ser encontradas no comércio.


Em correlação a carteira de soldadura não há um norma exclusivo em sua compra, o fundamental é adquirir de marcas de qualidade e com sigilo de comprovação.


Multímetro


Esta ferramenta sem dúvidas é uma das mais essenciais para o nascente em eletrônica. Com o multímetro o principiante possui a chance de pensar diversas grandezas elétricas, dependendo do modelo de multímetro adquirido.


O multímetro, como o nome indica, multi atitudes, é um utensílio que tem integralizado muitas utilidades. Vão a partir de modelos simples à modelos sofisticados com medição true RMS ( capaz de pensar o valor RMS de vestígios variantes no tempo que não sejam senoidais).


A Figurante 8 a seguir apresenta alguns modelos de multímetros que são capazes de ser localizados no mercado.


Figurante 8 – Alguns modelos de multímetros que são localizados no comércio.


Veja similarmente:


Como utilizar o Multimetro – Formulário completo com 10 formas costumes.


Note que há distintos modelos, vão a partir de os mais simples com baixa mudança até modelos com altíssima mudança e similarmente com um maior algarismo de dígitos. Há também os multímetros analógicos que são excelentes em preservação eletrônica, embora de apresentarem um menor algarismo de utilidades.


Na momento de adotar um multímetro, devemos provocar em conta seu valor e a nossa urgência quanto ao algarismo de utilidades que são agregadas ao utensílio.


Para iniciantes o melhor e recomendado são os multímetros mais simples, que agregam utilidades como: medição de preocupação CC e CA, corrente CC, resistência elétrica, teste de conservação e teste de diodo e transistor. Isto até pelo feito do principiante também estar adquirindo experiência e não correr o perigo de assentar fora todo o dinheiro injetado num super multímetro. Com o tempo e com a experiência adquirida diretamente você perceberá a urgência de um multímetro com mais utilidades.


Essas são as ferramentas que com minha experiência julgo ser ferramentas básicas para que pessoas deseja corporificar montagens eletrônicas. Porém, não precisamos conseguir todas de imediato.

Pra ser cordial, fui adquirindo minhas ferramentas aos poucos, comecei com o ferro de soldar, o estanho e os alicates, em seguida adquiri algumas chaves e no fim consegui adquirir meu primeiro multímetro. Durante desse tempo vim juntando ferramentas e similarmente ganhando ferramentas de colegas.

FONTE: https://www.r7.com