Como escolher o tamanho ideal da cortina

As tendências apontam para os mais leves e fluidos, pouco volumosos e com excelente debilidade. “Os de fachada fatigante e rígido são pouco vistos nos dias de hoje ”, afirma o alarife Diego Revollo. Outra novidade, de acordo com o alarife René Fernandes Filho: a volta das estampas, comuns nos anos 1970.

“ Até há pouco, as cortinas deveriam ser o mais neutras possível, porém isto mudou, uma vez que agora vale realizar delas um componente forte da ornamento ”, afirma ele.

A campeã de citações, a do tipo wave, ainda que preia num trilho, reproduz as ondulações obtidas com o utilização de ilhoses num varão.

No momento em que utilizar trilho ou varão?


Indica-se o primeiro no momento em que há um cortineiro, de gesso ou madeiro, capaz de embiocar sua figura. Há casos em que o trilho, bastante reduzido, pode ficar ostensível, porém, em maior parte, o guarida permanece escuso. Já o varão se preserva à ideia, e costuma entrar em acontecimento nos ambientes com forro que acompanha a afeição do telhado ou se a vontade for torná-lo parte da ambientação.

Versões mais chamativas, com ponteiras ornamentadas, estão em desuso.

Como medir a porção de fazenda?


Meça a largura da janela (2 m, por exemplo ) e multiplique por 2: 2 x 2 = 4 Por isso tire a providência da altura (digamos que o pé-direito tenha 2,60 m) e some 60 cm, providência satisfatório para a fabricação da barra e do cabeçote:

2,60 + 0,60 = 3,20 Por fim, multiplique os resultados: 4 x 3,20 = 12,80 m A fórmula vale para um fazenda com 1,40 m de largura. Caso ele tenha 3 m de largura, será capaz de ser utilizado na horizontal, o que permissão emendas. A metragem essencial, nesse caso, cai pela meio.



As cortinas precisam abarbar somente a janela ou a taipa inteira?


A pouco que exista um contratempo, como um bufê sob a boca, elas ficarão mais elegantes se alcançarem o lajeado. Caso não seja possível, opte um modelo neolatino ou uma persiana.

“Cortinas curtas funcionam somente em quartos de bebê ”, avisa Paulo Rossi, da Interiores Confecções. Com correlação à largura, não há exemplo. “ No momento em que a esquadria é descentralizada, recomendo encobrir toda a taipa para embiocar a diferença entre os lados”, diz René.

Em ambientes com diversas janelas, as cortinas precisam ser todas iguais?


Recomenda-se normalizar. “Se uma delas encontra-se acima de um levadiço, por exemplo, pode-se cobri-la com um modelo neolatino, mais limitado, e utilizar cortinas longas nas demais. O resultado será mais eufônico se todas forem do mesmo fazenda ”, ensina Paulo.

Outra tentação vem de René: “É provável incrementar uma porta-balcão com a cortina e espalhar telas solares nas janelas, com bom estilo e nova ”.

O que utilizar em banheiros e cozinhas?


Melhor agredir em persianas, de preferência metálicas, ou telas solares. Ambas são menos difíceis de apurar, detalhe necessário em espaços expostos a gordura e umidade. Se a esquadria ficar fora do divisão ou ábdito do braseiro, vale espalhar uma cortina romana, porém de fazenda curto, que seja lavado constantemente.

Quais as opções mais indicadas destinado a pessoas alérgicas a sujidade?


Com independência do fazenda apurado, cortinas tendem a associar pó. Dessa forma, especialistas indicam persianas de madeiro ou alumínio para moradas de alérgicos. “Sua superfície não é porosa, o que torna simples a preservação.

Escova e aspirador bastam, ou tela úmido, em alguns casos”, diz Betty Rodrigues, diretora comercial da Uniflex Mateus Grou. Quem padece com o dificuldade, no entanto não abre mão de cortinas, pode fabricar modelos de voal ou de mais tecidos 100% poliéster, que permitem lavagens constantes sem desvirtuar.

Saiba Mais : A colaboradora Monique apresenta os diferentes tipos de cortinas

E para abafar ruídos?


Nenhuma escolha se revela completamente eficaz, porém blecautes e cortinas grossas – de peludo, sarja de algodão, zuarte e linho – são capazes de auxiliar muito.

Quais as pregas e os tecidos mais usados?


Além da wave, segue forte a vinco americana – tanto na versão clássico, com o franzido por baixo, quanto na invertida, com a costura no alto. “A vinco viril similarmente não sai de roupas ”, protege a programador visual de interiores Isabel Morellato, dona da La Belle Bergère, empresa do segmento.

Na matéria-prima, destacam-se as tramas sintéticas, de linho ou gaze de linho com poliéster: a visual imita a da fibra 100% natural, porém sem os inconvenientes de recolher e amalgamar.

Que opções são mais eficazes para revestir o exagero de luz?


Se o lugar padece com brilho demasiada, a pedida é agredir num forro – além de escoar a luz, o recurso protegerá a entrecho. Caso queira encobrir totalmente a setor, compre um modelo blecaute, já sabendo que ele possui um ponto despreparado: o visual plastificado.

“ Há cerca de cinco anos, surgiram os chamados blecaute 70%, de visual mais natural. Eles não vedam a janela totalmente, porém são capazes de, até mesmo, ingerir o lugar da cortina ”, conta Paulo. Outras opções de forro são o tergal estio e a gabardine. Há, também, a momento de misturar persianas ou telas solares a cortinas.

FONTE: https://www.r7.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *