Make Up Your Styles

por Dani Zaccai

Dica de passeio em Nova York: Museu do FIT (Fashion Institute of Technology)

From NYC

A dica de hoje é de um passeio grátis em Nova York: o museu do Fashion Institute of Technology, o FIT. Para os apaixonados por moda, é uma parada obrigatória, já que abriga a maior coleção de roupas e acessórios do século XVIII no mundo. As exposições são temporárias, e sempre tem uma interessante para visitar!

fit-museum

Quando eu fui visitar, tinham três exposições: a “Fairy Tale Fashion”, a “Denim: Fashion Frontier” e a “The Woman of Harper’s Bazaar”. A Fairy Tale Fashion era uma exposição belíssima, quase mágica, que mostrou como os contos de fadas funcionam como referência para a moda.  A exibição ainda conta com um cenário de fantasia projetado pela arquiteta futurista Kim Ackert.

fit-museum-fairy-tale0fashion

A “The Women of Harper’s Bazaar, 1936-1958” é uma exposição com os principais trabalhos em conjunto da editora-chefe Carmel Snow, da editora de moda Diana Vreeland e da fotógrafa Louise Dahl-Wolfe.

fit-museum-the-woman-of-bazaar

Além dessas exposições temporárias, o Museu do FIT conta com uma coleção de artefatos da história da moda, principalmente do século XVIII ao século XX, que se revezam na galeria The Fashion and Textile History Gallery, a cada seis meses, mas sempre cobrindo os 250 anos de história da moda.

O museu abre de terça a sexta, do meio-dia às 20h e aos sábados das 10 às 17.

Endereço: 227 W 27th Street (entre a 7th e 8th Avenue).

Como Chegar: De metro, pelas linhas 1, N e R (estação 28 St), e de ônibus pelas linhas M7 e M20.



Vá a um jogo de Basquete da NBA em Nova York

From NYC

Um dos programas mais americanos a se fazer quando estiver por aqui, é ir em um jogo de basquete da NBA. Nova York possui dois times, um é o famoso Knicks, que jogam no estádio mais famoso do mundo, o Madison Square Garden; e o Brooklyn Nets, que jogam no Barclay’s Center, obviamente, no Brooklyn.

basquete-em-ny

Particularmente, eu gosto mais de ir no estádio do Brooklyn Nets, o Barclay’s Center. Ele é menor, tem mais opções de comida, é mais organizado e os ingressos são mais baratos; claro que o Madison Square Garden é bem mais perto, fica wm Manhattan mesmo.

basquete-em-ny-2

O jogo tem toda uma energia e diversas atrações nos meio-tempos: jogam camisetas, danças de Cheerleaders, e as vezes tem crianças que fazem uma apresentação. É super divertido!

basquete-em-ny-3

A temporada de jogos da NBA começa em Outubro e acaba em Abril. Assistir a um jogo de basquete, especialmente do Knicks, requer um planejamento com antecedência, já que muitos dos torcedores locais compram pacotes anuais que garantem o lugar em toda a temporada, diminuindo a quantidade de ingressos disponíveis avulsos. A melhor forma de comprar ingressos é online, pelo site da Ticketmaster.

Evite levar mochilas e sacolas, ou objetos como o famoso “pau de selfie”, já que tem revista de segurança para entrar no estádio.

Madison Square Garden – Como chegar: De metro, pelas linhas B, D, F, M, N, R e Q (estação 34 St – Herald Sq) e 1,2, 3, A C ou E (estação 34 St – Penn Station). De ônibus, pelas linhas M7 e M20.

Barcley’s Center – Como Chegar: De metro, pelas linhas 2, 3, 4, 5, B, D, N, R e Q (estação Atlantic Av – Barclay Ctr). De ônibus pelas linhas B45, B41 e B67.



Dica de passeio em Nova York: Hoboken & Carlo’s Bake Shop

From NYC

A dica de hoje é de um passeio super legal e diferente para quando estiver em Nova York. Hoboken é uma cidade localizada no New Jersey, estado pertíssimo de NY. Hoboken é a típica cidade do interior, pequena, pacata, com uma rua principal – a Washington Street – e muito charme.

washington-st

A cidade é bastante conhecida por dois motivos: ser a cidade natal do cantor Frank Sinatra, e ser a matriz da primeira loja Carlo’s Bake Shop, comandado por Buddy Valastro, estrela do reality show Cake Boss. É lá na Washington Street que está a Carlos Bakery, bem na frente do City Hall.

carlos-bakery

Muitas vezes tem fila pra fora para conseguir comer alguma delicia lá, mas vale a pena. O canoli de lá é dos deuses! O mousse de chocolate então.. uma coisa! O lugar está reformado, e tem um espaço de cozinha aberta que você consegue ver eles confeitando algum bolo, ou fazendo doces. Tem só 3 mesinhas, então se o dia estiver agradável, peça sua escolha pra viagem, e vá pro próximo ponto citado neste post, comer apreciando uma bela vista!

carlos-bakery-2

Depois do passeio pela Washington Street, é hora de passear pelo River Waterfront Walkway, um dos skylines mais bonitos de Manhattan. De lá, você consegue ver toda a West Coast de Manhattan, com alguns píer de madeira, parquinhos, gramados e espaços para apreciar a vista.

hoboken-riverfront

É super fácil de chegar lá – via PATH (Port Authority Trans Hudson). Abaixo, o mapa das linhas de PATH, entre Nova York (Manhattan) e New Jersey.

pathmap

Cada trecho custa US$ 2,75, e o Metrocard ilimitado por tempo (semana ou mês) não funciona nas catracas do PATH. A viagem demora, em média, 15 minutos entre Manhattan e NJ.



Dica de passeio em Nova York: New York Botanical Garden

From NYC

Hoje é dia de mostrar uma ótima opção de passeio na primavera, o New York Botanical Garden. Criado em 1891, o New York Botanic Garden foi inspirado em jardim botânico próximo de Londres, o Royal Botanic Garden; em 1967, o NYBG foi tombado como Patrimônio Histórico Nacional. O New York Botanical Garden ocupa uma enorme área verde do Bronx Park, muito perto do Bronx Zoo.

nybg-entrada

O Bronx fica no norte da cidade e é separado de Manhattan pelo rio Harlem. Não é muito perto, mas vale muito a visita, principalmente na primavera. Ele possui mais de 50 diferentes jardins, é a sede de uma das maiores bibliotecas botânicas das Américas, e possui alguns dos mais avançados laboratórios de pesquisas botânicas do mundo!

nybg-library

O New York Botanical Garden disponibiliza um Tram – especie de tremzinho – aos visitantes que é gratuito. Ele faz sete paradas e conta a história do lugar e de suas plantas ao longo do caminho. Pegue um mapa do NYBG quando comprar seu ingresso, para saber onde é cada uma das paradas!

nybg-tram

Você pode ir descendo de um a um, e ir conhecendo os diversos jardins. Uma das paradas é a Cherry Collection, onde estão as cerejeiras, e outra o Jardim de Rosas Peggy Rockefeller Rose Garden (a melhor época para ver as rosas é de maio a outubro).

nybg-rose-and-cerejeiras

Não deixe de visitar o conservatório Enid A. Haupt Conservatory, uma das áreas mais famosas do jardim. Durante o ano há eventos variados, como o The Orchid Show: Orchidelirium, a maior exposição de orquídeas do país que acontece anualmente. Eu fui para ver as orquídeas e olha… que maravilhoso, vontade de fotografar a cada passo!

nybg-conservatory

Os ingressos custam, de dias de semana, U$ 20 Adultos; U$ 18 Estudantes e Idosos; e U$ 8 Crianças de 2 a 12 anos. De finais de semana, U$25 Adultos; U$ 22 Estudantes e Idosos; e U$ 10 Crianças de 2 a 12 anos.

Endereço: 2900 Southern Blvd. – Bronx

Como chegar: De carro são 30 minutos de Manhattan e o estacionamento custa U$15. De ônibus, pelas linhas Bx12, Bx19, Bx22. Nos fomos pela linha 5 até a estação 174 St, e de lá pegamos o ônibus Bx19.



Passeio de um dia nos arredores de NY: Bear Mountain State Park

From NYC

No começo do ano, eu e o Dan tivemos alguns dias de férias juntos, e resolvemos aproveitar para conhecer Bear Mountain, uma montanha localizada a mais ou menos 1 hora de Nova York, de carro. A montanha fica dentro de um parque estadual de mesmo nome, na beira do Hudson River, onde você pode ir para fazer trilhas (são 8 no total), andar de pedalinho e pescar pelo lago, tem parquinho para as crianças, campos de futebol e basquete, zoológico e Museu, espaço para picnics (embaixo e quase chegando no topo da montanha!) e pista de patinação no gelo no inverno.

bear-mountain-state-park

Chegando lá, fomos até o prédio administrativo, onde pegamos os mapas e sugestões de trilhas. Escolhemos fazer a mais famosa, a Perkins Memorial Tower Trail, uma trilha até o topo da montanha, que oferece uma vista linda da encosta do Hudson River e da Bear Mountain Bridge, desde o começo da subida, até o topo. Pela trilha, passamos por uma pontezinha, uma cachoeira, muitas pedras e muitos degraus!

bear-mountain-Perkins-memorial-tower

A trilha é considerada Challanging (desafiadora) pelo parque – existem opções de trilhas fáceis no papel que pegamos! O caminho é simples, demarcado por essas faixas brancas nas árvores e pedras, então não tem como se perder. A trilha tem 4 milhas, e a maioria da trilha são degraus, então cansa bastante. Eu, o Dan e a Moa levamos quase 1 hora para subir, e 45 minutos para descer.

bear-mountain-marcas

Quando fomos estava um frio dos diabos (a sensação térmica era de -2°C), então fomos super agasalhados e com roupas confortáveis. Como é montanha, venta bastante – então se tiver friozinho, pode carregar um casaco que você vai precisar!

bear-mountain-trilha

Dentro do parque também tem um hotel, e é uma ótima opção se você quiser descansar e fazer mais de uma trilha, por exemplo!

Nos alugamos um carro (saiu U$80 o dia todo), mas existem empresas que levam turistas para o Bear Mountain State Park por, em média, U$28 por pessoa. Eu achei que valia mais a pena alugar o carro, porque assim levamos a Moa, e também tínhamos flexibilidade com nossos horários.

Ainda finalizamos o passeio com uma passada no Woodbury Common Outlet, que fica super perto do parque (uns 15 minutos!). O próximo post sobre NY (na quinta), será sobre este outlet! Aguardem!



Roteiro: O que fazer no Central Park do lado West

From NYC

Já estava na hora de um post sobre o famoso Central Park por aqui, não é mesmo? Eu demorei um pouco e resolvi dividir as dicas e os roteiros em dois: lado West (que falaremos hoje) e o lado East (em breve). O lado West é, na minha opinião, o mais legal! Sugiro que você comece pelo Levain Bakery, uma bakery ultra famosa de NY que fica próxima ao Central Park, e que é conhecida por vender os melhores cookies de NY.

levain-bakery

Eu, sinceramente, gosto mais dos cookies da Insomnia Cookies, mas vale conhecer! Para chegar lá, desça na estação 72St (linhas 1,2 ou 3). De lá, são duas quadras até o Central Park. Entre pela entrada da 72nd St, e caminhe até o Strawberry Fields, a primeira parada. O Strawberry Fields é um memorial dedicado à John Lennon, localizado próximo de onde ele gostava de passear, e bem em frente do edifício Dakota onde viveu até sua morte em 1980.

strawberry-fields-central-park-west

De lá, siga para o Ladie’s Pavilion, um espaço maravilhoso para fotos sobre as pedras, próximo ao lago, e com os arranha céus de Manhattan ao fundo. Lá também tem um gazebo fofo, uma construção do século 19, projetada pelo arquiteto Jacob Wrey em 1871. Por ser um lugar lindo e romântico, é comum você se deparar com casamentos por lá!

ladies-pavilion-central-park-west

Caminhe até o próximo ponto  pela ponte Oak Bridge – a vista dos arranha céus é sensacional.

oak-bridge

O Castelo Belvedere, nosso próximo ponto, foi construído e projetado em 1865 e está localizado no ponto mais alto do Central Park. A vista de lá é linda e vale o passeio. De lá você consegue ver a Great Lawn, aquele gramado imenso que o pessoal vai para fazer pic nic, tomar um sol, etc!

belvedere-castle

De lá, é hora de parar para o almoço e existem duas ótimas opções dentro do Central Park. O The Loeb Boathouse é um restaurante mais chic (e caro!) que tem vista maravilhosa para o lago, e a segunda opção é a lanchonete do lado de fora, que fica bem atrás do primeiro restaurante (tem o mesmo nome!), serve hamburgeres, saladas e wraps (tem opção para vegetarianos!) e uma batata frita maravilhosa. Para quem não vai comer, mas precisa de uma paradinha para banheiro, é lá também (fica do lado!).

the-loeb-boathouse

Para quem quer andar de barquinho, é lá do lado que você pega – a fila não é muito grande, custa U$15 (pagamento só em dinheiro!) por barco pela primeira hora e cabem até 4 pessoas no barco. Vá só se tiver disposição de remar para ir e voltar!

alugar-barco

A próxima parada é a maravilhosa Bathesda Fountain e o Bathesda Terrance (foi lá onde rolou o casamento da Blair em Gosspi Girls!). A fonte, uma das mais famosas do mundo, também é conhecida como Water Angel (o anjo da água) e abaixo do anjo central estão quatro querubins que simbolizam saúde, pureza, temperança e paz.

bathesda-fountain-terrance

De lá, prepare-se para a última parada deste passeio, a Bow Bridge. Ela foi demorou 3 anos para ser construída e ficou pronta em 1862, e sua estrutura foi desenhada em formato de arco (daí o nome, bow) por Calvert Vaux e Jacob Wrey Mould. Lá é comum você testemunhar pedidos de casamentos – ou em cima da ponte, ou nos barquinhos quando passam pela ponte!

bow-bridge

Abaixo, o mapinha com todos os pontos citados neste post! O total desta caminhada é de 36 minutos (além do tempo que você gasta em cada um dos pontos!).

roteiro-central-park-west

Espero que gostem!



Dica de passeio em NY: One World Observatory

From NYC

O One World Observatory é o novo ponto turístico de NY (inaugurado em 29 de Maio deste ano), uma torre construída próxima das antigas torres gêmeas (onde hoje está o Memorial WTC, que já mostrei no blog, e o 9/11 Museum), e leva o nome de One Trade Center – em homenagem às elas.  O One World Observatory é o edifício mais alto do hemisfério ocidental, e o observatório fica nos 100º, 101º e 102º andares.

one-world-observatory-porta

Chegando lá, tem filas para os diferentes próximos horários de subida, e você entra na fila do seu horário. Depois de passar pela segurança, você chega ao Global Welcome Center, o centro de boas-vindas com uma tela enorme em 10 línguas diferentes.

one-world-observatory-welcome-center

A segunda parte é uma sala chamada Voices, que você já passa meio que formando uma fila, que conta a história dos homens e mulheres que construíram o One World Trade Center. Em seguida, é a fase chamada Fundations, e você vê o leito das rochas onde o prédio está assentado e há diversas informações sobre o prédio.

one-world-observatory-voices-foundations

A fila vai seguindo ate chegar nos elevadores (são 5), chamados Sky Pods, que sobe ao 102º em apenas um minuto. As três paredes do elevador são em telas de LED, que mostra durante a subida como a linha do horizonte de NY se desenvolveu ao longo dos anos, desde o século XVI até hoje.

Saindo de lá, entramos no See Forever Theather, outro filme, agora de 2 minutos, com imagens da cidade, mostrando toda a energia e vibração que NY tem, além da vida na cidade em 3D. Quando o filme acaba… a surpresa: as telas sobem e a vista de Manhattan de cima se revela.

one-world-observatory-elevador-see-forever

Este andar não é 360º, e você pode inclusive pegar um ipad para te orientar na visita (pago!). Descendo a primeira escada, você chega no 101º andar, onde há um restaurante que serve também lanches e drinks. A vista é linda, e o preço, salgado.

one-world-observatory-andares

O observatório em si está no 100º, que, diferente do Empire State e Top of the Rock, é fechado e coberto. A vista 360º de Manhattan é de tirar o folêgo.

one-world-observatory-vistas

Neste andar, estão também o Sky Portal (disco circular que oferece uma vista do que esta acontecendo em tempo real nas ruas abaixo com imagens em alta definição – atenção, não é um chão de vidro!) e o City Pulse (são dois, e em cada um deles há um “concierge” interativo, com telas em formato de anel, que usam a tecnologia de reconhecimento de gestos para trazer imagens para as telas, permitindo que os visitantes tenham mais informações os pontos turísticos e bairros vistos de cima).

one-world-observatory-sky-citypulse

Informações extras:

– A melhor forma de comprar ingressos é pelo site, senão terá que fazer uma fila de mais de uma hora para conseguir comprar. Se escolher comprar online, é preciso imprimir o ingresso para poder entrar, já que eles são escaneados na entrada.

– Os ingressos devem ser comprados com hora marcada para subir, e você deve chegar ao local uns 15 minutos antes do seu horário.

– Os ingressos custam a partir de $ 32 para adultos e $26 para crianças, e crianças de até 5 anos não pagam.

– Todos os visitantes têm que passar pela segurança. É permitida a entrada com uma bolsa pequena, e não há guarda volumes para bolsas maiores.

– Aproveite para visitar o Memorial do 11 de Setembro que do lado, e uma homenagem muito lindo às vitimas das Torres Gêmeas. Elas não são ligadas ao Museu, e a entrada é gratuita (clicando no link tem as informações completas e fotos!).

one-world-observatory-map

Horários: Diariamente, de 29 de maio a 7 de setembro de 2015, das 09:00 à meia-noite (última entrada às 23:15) e de 8 de setembro a 5 de maio de 2016, das 09:00 às 20:00 (última entrada às 19:15).

Endereço: 285 Fulton Street (quase esquina com a West Street)

Como chegar: As estações de metro mais próximas são Cortlandt St, das linhas 1, N e R, a World Trade Center da linha E, e a Fulton St, das linhas 4 e 5. De ônibus, é possível chegar pelos: M5, BM1, BM2. BM3, BM4, X1 e mais alguns outros.



Dica de passeio em NY: Roosevelt Island

From NYC

A dica de hoje é um passeio na Roosevelt Island, localizada no East River, entre Manhattan e o Queens. É um passeio bem diferente e fora da rota turística, já que é uma área residencial e não tem muito comércio. Mesmo assim, vale muito a visita – vocês verão ao longo do post.

Para chegar lá, é só pegar um bondinho vermelho, que faz parte do transporte público da cidade e custa o mesmo preço do metrô – é só passar seu MetroCard na catraca (tem post sobre Como andar de Metro em Nova York? aqui no blog) . A estação Roosevelt Island Tramway fica na esquina da 2nd Avenue e a 60th Street.

roosevelt-island-bondinho

Duas cabines fazem o serviço, de 7 minutos em 7 minutos (média) em cada ponta, desde às 6 da manhã até às 2:30 de dia de semana, e nos finais de semana até às 3:30 horas. O trajeto no bondinho tem essa vista maravilhosa, em paralelo com a Ponte de Queensboro, que vocês viram nas fotos acima, e leva 4 minutos.

Chegando lá, eu fui primeiro para a parte sul da ilha, que na minha opinião é a mais legal. Você desce um pouco e consegue começar a andar na beira do rio, com a vista para Manhattan, é muito lindo.

roosevelt-island-caminho-sul

Vi umas fotos deste caminho na época das cerejeiras, que é no final de Abril, e já desejei ir pra lá quando for a próxima. Peguei uma foto na internet para vocês verem como é lindo!

roosevelt-island-cerejeiras

Aí você vai passeando por este caminho, até chegar no Southpoint Park (uns 10 minutos a pé), onde ficam as ruinas do Smallpox Hospital (aberto em 1856 e abandonado em 1950), e o memorial em homenagem ao ex-presidente dos EUA Franklin Roosevelt.

roosevelt-island-southpoint

O memorial conta com uma escada imensa, e uma esplanada linda, com um gramadão e árvores, além de espaço para sentar e curtir um dia gostoso.

roosevelt-island-esplanada

Mais pra ponta da ilha, está o monumento com o rosto de Roosvelt, e sua frase mais famosa.

roosevelt-island-franklin

Depois de irmos até lá e ficarmos um pouco curtindo o dia que estava delícia, subimos novamente e resolvemos ir andando até a outra ponta da ilha – de ponta a ponta são 40 minutos. Lá na parte norte está o Lighthouse Park, onde tem o farol da ilha, e a The Octogon Tower, construída em 1839 como o centro de administração do asilo municipal do século 19. Achei a parte norte meio sem graça!

roosevelt-island-norte

Se não quiser caminhar, existe a opção de usar o ponto do ônibus vermelho que tem em Roosevelt Island – ele é gratuito e dá a volta na ilha, passando em cada uma das paradas de 15 em 15 minutos. Abaixo, uma foto do ônibus e o trajeto dele e as paradas que ele faz na ilha.

roosevelt-island-bus

Eu aconselho andar até o sul, e voltando ao meio, pegar o ônibus para conhecer o norte da ilha, se interessar! Para voltar, é só pegar o bondinho de volta para Manhattan. Também há a opção de ir e voltar de Roosevelt Island de metro, pela linha F – mas bondinho é bem mais legal! Rs!

Ah, e o crédito das fotos deste post vão pro Bruno, meu primo, que estava aqui e visitou conosco Roosevelt Island! ❤



Página 1 de 11